Suíça – Contagem Regressiva Étnica

Saindo da Torre Eiffel, vamos para um dos países com melhor qualidade de vida do mundo, a terra sede do Futebol, Suíça, país sede da FIFA. Para falarmos da imigração precisamos contar a história do país até o período próximo aos primeiros imigrantes, assim entendemos o que fez com que aquele povo saísse de suas casas e viessem em busca de algo nas américas. Então venha comigo em mais uma jornada para conhecer um dos primeiros povos a migrar para nosso país.

Começamos com a primeira civilização presente na Suíça: os Helvécios, uma ramificação dos celtas, sendo uma civilização marcada pela produção artesanal de jóias, posteriormente comandados por Romanos. Neste período foram construídas muitas das principais cidades suíças da atualidade, até a queda do Império Romano.

O próximo período foram as invasões germânicas, que foi muito importante para a Suíça, onde alguns cantões se uniram e realizaram a confederação Helvética, formando a Unidade Nacional da Suíça (1291) e, a partir de 1332, a confederação começou a aceitar novos membros, gerando uma estabilidade até meados de 1414, quando algumas rebeliões e guerras ocorreram, havendo a possibilidade de aumentar a confederação mesmo com alguns cantões contra.

Nos séculos XVII e XVIII a corrupção das famílias ricas levou a uma série de revoltas e a revolução francesa mostrou que era possível alterações políticas no país, o que incentivou a revolução de Genebra (1792) e a nova constituição (1794). Ainda neste período houve a conquista de Napoleão que ordenou invasão e desarmamento da república. Com a queda de Napoleão na Batalha de Waterloo, a Suíça voltou ao seu sistema federal e aos poucos evoluiu para a democracia.

Chegamos ao momento em que suíços vem ao Brasil, os rastros das conquistas de Napoleão deixaram as economias fragilizadas, ao mesmo tempo que os portugueses estavam querendo fazer uma colonização mais planejada no Brasil, convidando inicialmente 2.000 suíços para virem ao país e ,assim, começando a imigração suíça.

Desta forma, vimos que a Suíça não se envolveu em muitas tomadas de território, traço que permanece até hoje, sendo considerado um país neutro até os dias atuais, por isso, muitas intermediações e convenções são realizadas no país.

Os suíços no Rio Grande do Sul se instalaram onde hoje é Carlos Barbosa, na Serra Gaúcha, praticaram principalmente a plantação de café e, após o fim da escravidão, importaram gado zebuíno, que está presente até hoje em nossa agropecuária. Mesmo que a cultura suíça não seja tão preservada quanto outras em nossa cidade, podemos perceber a sua herança em nosso país, pois sem eles, talvez hoje não seríamos um dos países que mais produz carne no mundo, e quem iria popularizar nossos cafezinhos? Seja na carne, no café ou na cultura, mais uma vez o que fica é o agradecimento pela contribuição para a nossa cultura.

Referências:

https://pt.countryeconomy.com/paises/suica

https://www.eda.admin.ch/aboutswitzerland/pt/home/politik-geschichte/geschichte-der-schweiz.html#:~:text=O%20territ%C3%B3rio%20da%20Su%C3%AD%C3%A7a%20foi,estrutura%20precursora%20da%20atual%20Su%C3%AD%C3%A7a.

https://g1.globo.com/rj/regiao-serrana/noticia/2018/08/01/veja-5-fatos-sobre-a-colonizacao-suica-no-brasil-e-chegada-a-terras-friburguenses-no-rj.ghtml

https://www.swissinfo.ch/por/su%C3%AD%C3%A7os-do-estrangeiro_a-raiz-e-o-orgulho-helv%C3%A9tico-no-rio-grande-do-sul/32583786

Siga o Instagram da EXPOFEST e fique por dentro dos BASTIDORES do maior evento multiétnico do país!

Siga o Instagram da EXPOFEST e fique por dentro dos BASTIDORES do maior evento multiétnico do país!

POSTS RELACIONADOS