Dinamarca – Contagem Regressiva Étnia

Dinamarca vem da junção de duas palavras Dhen que significa baixo ou plano, e Mark que significa terra da fronteira ou floresta da fronteira, assim os Godos chamavam a floresta que separava suas terras da terra dinamarquesa.

E seguindo na tradição marítima, pelos mares do norte, velejamos com Vikings dos Países Baixos, não Holanda, para a terra da Pequena Sereia. Como de costume começaremos com algumas curiosidades sobre a Dinamarca: A região de Scania na Suécia, sim a mesma que deu nome aos Caminhões, foi em parte, parte dinamarquesa por muitos anos, e esta região hoje sueca foi a origem do nome da Dinamarca, os godos chamavam aquela região de Dhenmark, Dhen baixou ou plano, mark terra da fronteira ou floresta da fronteira; Existe uma estátua da pequena sereia na Dinamarca; É considerado o País mais antigo do mundo pois sua unificação ocorreu no Século X.

Exploremos um pouco os povos bárbaros da Dinamarca até seus primeiros registros de civilização: Tem registros de povoamentos desde 100.000 a.C; Identifica-se o desenvolvimento de agricultura por volta de 4.000 a.C;  Moedas romanas foram achadas por aquelas bandas, então acredita-se que os dinamarqueses já comercializavam com Romanos a partir do ano 1 até 400 d.C; com sua primeira civilização datada de 700 d.C., com o surgimento do primeiro Rei dinamarquês e a fundação de Ribe, cidade mais antiga da Dinamarca e marcando o início da Era Viking.

Os Vikings eram exploradores, coletores, guerreiros, piratas e comerciantes, como as terras escandinavas sofriam com a glaciação constante a produção local para o comércio era inviável pois, a agricultura não era uma opção. O constante despovoamento em épocas de frio intenso deu aos Vikings habilidades náuticas que permitiram a chegada em diversas regiões do globo, chegando à América do Norte no ano 1.000 d.C. e se estabelecendo onde hoje é o Canadá. Durante a Era Viking na Europa, a cultura foi difundida por diversos países, principalmente a famosa Valhalla, portões que só se abriram aos homens que morressem em batalha e fossem conduzidos pelas Valquírias e estariam junto aos Deuses aguardando o chamado para a batalha final durante o Ragnarök, por este motivo as batalhas e guerras dos Vikings não eram apenas em busca de terras férteis, riquezas e comércio, era um ato religioso.

Os Vikings se estabeleceram em muitos locais da Europa como Inglaterra, Escócia, norte da França, Rússia, Irlanda e Groenlândia. A Era Viking tem fim com a conquista da Inglaterra pelos Normandos.

Após a perda da Inglaterra, a Dinamarca seguiu um caminho de disputas políticas internas com seus reis até a unificação com a Noruega e a Suécia em 1397. União que durou até 1448, onde começa um período de desunião que termina com a separação das monarquias em 1523, período em que perdeu sua parte da região de Scania.

No mesmo período em que a Suécia se separou da Dinamarca, o crescimento do luteranismo ocasionou guerras civis na Dinamarca, seguindo a guerra pelo domínio do Mar Báltico, terminando com o Tratado de Copenhague em 1660 delimitando as fronteiras da Suécia, Dinamarca e Noruega.

A retomada do comércio dinamarquês após as guerras foi às vésperas das Guerras Napoleônicas, o que novamente prejudicou a economia dinamarquesa. Prejuízo que levou a Guerra dos Ducados onde a Dinamarca perdeu Schleswig-Holstein, hoje parte do território alemão, em 1864, e aqui se inicia a imigração dinamarquesa para o Brasil.

O número de dinamarqueses que vieram ao Brasil foi relativamente pequeno, pois o país estava fragilizado. Os dinamarqueses que chegaram ao país acompanharam muitas famílias alemãs e se instalaram principalmente no Sul e no Sudeste. Mesmo que a maioria tenha vindo para o Sul, foi na região de Minas que os dinamarqueses começaram e popularizaram sua maior herança, o apreço pelo queijo e sendo as culturas dinamarquesa e mineira de gastronomia queijeira, esses imigrantes perceberam oportunidades e criaram o queijo prato e iniciaram a produção de queijos de mofos azul e branco em Minas Gerais. Ademais, a contribuição dinamarquesa é pontual, tal como ocorre com outros grupos migrantes menores, mas isso não significa ausência de destaques, evidentes em famosos descendentes, reais ou fictícios, como o ambientalista Richard Rasmussen, os velejadores da família Grael ou o engraçado Caco Antibes, personagem de Miguel Falabella no humorístico de grande sucesso Sai de Baixo. Os dinamarqueses demonstram que a medida da contribuição das diversas etnias para o Brasil não se mede pelo tamanho da colônia que criaram aqui, mas sim pelo legado e pelo trabalho que cada migrante e seus descendentes deixam para a nossa sociedade.

Referências:

https://pt.countryeconomy.com/paises/dinamarca

https://www.dicionarioetimologico.com.br/dinamarca/#:~:text=do%20proto%2Dindo%2Deuropeu%20%22,Gothland%2C%20a%20terra%20dos%20godos.

https://mundoeducacao.uol.com.br/geografia/dinamarca.htm

https://www.historiadomundo.com.br/viking/historia-dos-vikings.htm

https://www.portalsaofrancisco.com.br/turismo/dinamarca

https://www.infopedia.pt/apoio/artigos/$dinamarca

http://www.historialivre.com/revistahistoriador/cinco/5carlos.pdf

https://www.geni.com/projects/Imigrantes-Dinamarqueses-ao-Brasil/48852

https://www.scielo.br/j/er/a/N6cbHsDZSYyTm4kCCf3rbcm/

Siga o Instagram da EXPOFEST e fique por dentro dos BASTIDORES do maior evento multiétnico do país!

Siga o Instagram da EXPOFEST e fique por dentro dos BASTIDORES do maior evento multiétnico do país!

POSTS RELACIONADOS