Letônia – Contagem Regressiva Étnica

Saindo da Rússia e indo para os países bálticos, bem ao centro temos a Letônia. Sou suspeito para fazer estas curiosidades sem puxar a sardinha para meu lado, pois danço nesta etnia e por isto escrevo com um certo apego, mas vamos lá: o país tem um dos idiomas mais antigos do mundo, sabe-se que o latim ganhou fama por volta do século IX a.C. já o dialeto leto, estima-se que exista já a pelo menos 5 mil anos. A capital da Letônia é Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Para quem tem complexo de altura, lá não é um bom país, os letos são o segundo povo mais alto do mundo, atrás apenas da Holanda. Como todos já sabem, pois o grupo de Ijuí já foi (eu não fui), existe o festival de dança e música na Letônia e é um dos maiores do mundo, diga-se de passagem é muito bonito. Apesar de ser pequeno, o país tem 500 km de praia, ainda não marque suas férias para lá, a água do Mar Báltico é extremamente gelada.

Indo para a grande história deste pequeno país, nos encontramos muito cedo com o âmbar, que é um dos principais produtos exportados pelo país, em 3.000 a.C. os povos que habitavam a região criaram rotas comerciais para trocar o âmbar por metais preciosos com o Império Romano. Esta rota comercial teve fim com as invasões eslavas. Nos séculos seguintes chegaram e se estabeleceram no território os povos Curônios, Selônios, Semigalios e Latigalios, os últimos que são a base do nome Letônia. Os Curônios eram um povo mais agressivo conhecidos como vikings do báltico e o restante era pacifico, basicamente de agricultores. Neste período foi criada a Rota dos Vikings à Grécia, que partia da Escandinávia e ia para a Letônia, pelo rio Daugava, por este motivo o território leto era importante e o rio ainda dá saído ao Mar Baltico.

A população do território leto era de religião pagã, sendo assim acabou sendo alvo das Cruzadas do Norte durante o período de expansão do cristianismo, terminando sob controle dos Cavaleiros Teutônicos que fundaram Riga em 1201, e ingressaram na Confederação da Livônia. O fim desta confederação durante o século XVI dividiu a Letônia entre Polônia e Suécia, que gerou diversos conflitos pelo controle de Riga. A Suécia ficou com a maior parte da Letônia. O controle sueco durou aproximadamente 2 séculos, quando a Suécia perdeu a Grande Guerra do Norte para  a Rússia a Letônia mudou novamente e foi anexada à Rússia. O período sob controle russo não agradou a população leta, que em meio a colonização europeia ocorrendo no Brasil, viu na América uma oportunidade de recomeçar.

Aqui começa a vinda dos letos para o Brasil, vindo para cá em busca de uma nova vida, e encontraram, se estabelecendo no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, os letos conseguiram manter sua cultura e prosperar. O Brasil hoje abriga a maior comunidade leta da América do Sul, os letos que vieram ao Brasil agiam de forma diferente do restante. Como em seu próprio país os letos tinham terra principalmente para própria sobrevivência , então adotaram uma divisão igualitária focada na ajuda mútua nas terras que ganharam, mas muitos dos imigrantes que vieram não eram agricultores e sim já moravam no meio urbano então eram engenheiros, professores e profissionais de outras áreas do conhecimento, de início isto foi ruim mas, posteriormente fez com que tivessem muita contribuição no desenvolvimento urbano em nosso país como as lombadas eletrônicas, além de serem inventadas no Brasil, foram inventadas por descendentes de letos. E se não fossem os letos não teríamos Rodrigo Hilbert. Hilbert é um sobrenome alemão, mas estes alemães se estabeleceram em colônias letas, que por meio de casamentos se misturou. Outra contribuição são os chocolates Kopenhagem, a empresa foi fundada por um casal leto. Podemos ver que as contribuições dos letos são muitas, pelo estilo de vida abrigaram e ajudaram povos de diversas culturas a se estabelecer no Brasil além de ajudar na urbanização mesmo que de forma discreta ou te multando com a lombada eletrônica, brincadeiras a parte, agora sabemos um pouco mais do povo que ajudou a colonizar o Brasil.

REFERÊNCIAS:

https://pt.countryeconomy.com/paises/letonia
https://brasilescola.uol.com.br/geografia/letonia.html
https://www.portalsaofrancisco.com.br/turismo/letonia#:~:text=A%20Hist%C3%B3ria%20da%20Let%C3%B4nia%20come%C3%A7ou,final%20do%20primeiro%20mil%C3%AAnio%20dC.
https://www.infoescola.com/europa/letonia/
https://letoniabrasil.org/posts/historia/reconstruir_letonia/
https://anpuh.org.br/uploads/anais-simposios/pdf/2019-01/1548177543_0a23ae092a9a4a62af9ff24b1ed1be93.pdf

Siga o Instagram da EXPOFEST e fique por dentro dos BASTIDORES do maior evento multiétnico do país!

Siga o Instagram da EXPOFEST e fique por dentro dos BASTIDORES do maior evento multiétnico do país!

POSTS RELACIONADOS