Palestina – Contagem Regressiva Étnica

Saindo do Líbano e indo para a Palestina, descobriremos que este país não é um estado propriamente dito, apesar de ser reconhecido como um. A Palestina é onde nasceram as principais religiões monoteístas do mundo. Hoje a Palestina corresponde a Faixa de Gaza e Cisjordânia, mas a Palestina ainda tenta reivindicar territórios que hoje são de Israel. O Acre é palestino… e brasileiro, o estado brasileiro do acre e a cidade de acre na Palestina.

Os primeiros registros do território palestino datam da visita de Heródoto, um historiador grego que chamou o território de Síria Palestina. Os próximos registros são da Batalha de Isso, quando Alexandre, O Grande derrotou os persas e anexou o território ao seu império, a Palestina após a morte de Alexandre também foi palco de disputas de território por parte dos generais do Império da Macedônia, gerando as Guerras Sírias, período de guerras entre ex-comandantes do império que durou por 100 anos, ao fim da guerra a Palestina ficou sob comando dos selêucidas, mas a paz não durou

O próximo capítulo da história Palestina é marcada por mais guerras, a invasão romana ao território, com a vitória dos romanos os palestinos tinham de pagar altos impostos para o império. Os palestinos na época eram em sua maioria judeus, mas com as influências romanas, acabaram conhecendo também os gregos e se sentiram muito atraídos por esta cultura, tornando Israel uma cidade helena em 175 a.C. A cultura grega em expansão dentro do território palestino causou o descontentamento de muitos judeus, o governo tomou medidas que obrigavam os judeus a aceitar a cultura grega até que foram instaladas imagens dos deuses pagãos em templos judaicos em Jerusalém, o que foi o estopim para que os judeus se retirassem da cidade para organizar uma resistência.

Este foi o começo de outro período turbulento, conflitos ocorrendo entre os pagãos e judeus, que em 164 a.C. recuperaram os templos, o líder dos judeus inicialmente era o sacerdote Matatias, que tinha 5 filhos, que iriam dar seguimento às ideias do pai. Matatias faleceu em 166 a.C, e outros 3 filhos de Matatias morreram em batalha ou foram assassinados. Até o reinado de João Hircano, que expandiu os territórios judeus e impôs o judaísmo para os seus habitantes. Quando João faleceu foi sucedido por seu filho mais velho Judas, que assumiu o nome de Aristóbulo e reinou por 1 ano apenas. Judas mandou prender seus irmãos, sua mãe indicada governadora por seu pai foi presa separada e morta por não receber alimentos. Sua esposa e amigos de Judas armaram para a morte de um dos irmãos do rei, que após um tempo, faleceu devido a doenças. A viúva do rei libertou os irmãos e se casou com o novo rei, Alexandre, que teve seu comando marcado por guerras, até sua morte. A esposa do rei desta vez ficou no comando do reino, sem grandes acontecimentos até sua morte, deixando o reino para seus filhos, que causaram uma guerra civil pelo domínio do reino, Hircano pediu ajuda a Pompeo, general romano, que ajudou a tomar o reino. Pompeo elegeu Hircano sumo sacerdote e não rei, então o território palestino ficou sob o controle romano pagando impostos. Os romanos incentivaram o cristianismo na região e tornaram a Palestina um lugar de peregrinação. A Palestina foi invadida por persas, os últimos anos do controle romano foram marcados por muitos conflitos, por fim não foram romanos nem persas que ficariam com o território, foram os árabes.

O domínio árabe dividiu o território em 2, Jordânia e Palestina e incentivou o povoamento nas áreas costeiras, onde foram construídas fortalezas para proteção contra o império bizantino, esta divisão permitiu que algumas famílias crescessem e se tornassem autônomas. Agora os conflitos retornam ao território, turcos e bizantinos disputam o território, e o território fica com os cruzados até 1144, quando cai para os otomanos. O domínio otomano foi difícil para os palestinos, altos impostos, redução da indústria, pouca agricultura, diminuição do comércio pois a Europa estava agora com relações na América.

No século XVIII a insatisfação da população gerou a primeira revolta, que até conseguiu expulsar o governador da cidade, mas exércitos otomanos retomaram a cidade e o líder da revolta foi executado. A autonomia das famílias permaneceu, os otomanos com medo de novas revoltas começaram a incentivar famílias rivais nas cidades. A medida foi um sucesso até certo ponto, pois ajudou a fazer outras famílias crescerem no longo prazo. Os egípcios se revoltaram contra os otomanos e estes foram bem sucedidos e depois invadiram o Líbano e também obtiveram sucesso, os egípcios aboliram alguns impostos. Parece que o domínio egípcio estava sendo bom, mas algumas medidas não agradaram, como recrutar os jovens palestinos para o exército, assim iniciou uma revolta contra os egípcios que foi contida, com ambos os lados enfraquecidos e os otomanos, agora com apoio de potências europeias, retomou a Palestina.

Durante o segundo domínio otomano inicia a imigração palestina no Brasil, e após muitas buscas é difícil identificar dados sobre a população palestina no Brasil, muitos entraram como jordanianos e turcos em função do domínio otomano, mas os palestinos devido a diversas crises vieram por melhores condições de vida, se estabeleceram principalmente em áreas agrícolas como a maioria dos imigrantes. Entre as heranças palestinas podemos destacar Tatiana Kaawar Ratcu, conhecida internacionalmente por ser jogadora de xadrez e Zeina Latif Economista-Chefe da XP Investimentos.

REFERÊNCIAS:

https://pt.countryeconomy.com/paises/palestina
https://mundoeducacao.uol.com.br/geografia/palestina.htm#:~:text=A%20Palestina%20%C3%A9%20uma%20regi%C3%A3o,de%20Gaza%20e%20a%20Cisjord%C3%A2nia.
https://mundoeducacao.uol.com.br/geografia/palestina.html
https://www.infoescola.com/historia/palestina/
https://www.preparaenem.com/geografia/israel-x-palestina.html
http://www.jornaldocampus.usp.br/index.php/2021/06/questao-israel-palestina-73-anos-de-limpeza-etnica/
https://icarabe.org/artigos/ser-palestina-no-brasil-memorias-de-guerra-experiencias-de-genero

Siga o Instagram da EXPOFEST e fique por dentro dos BASTIDORES do maior evento multiétnico do país!

Siga o Instagram da EXPOFEST e fique por dentro dos BASTIDORES do maior evento multiétnico do país!

POSTS RELACIONADOS